ESCOLA DE SAÚDE UNYLEYA






Curso Pós-Técnico em

Saúde Mental



A quem se destina

Técnico em Enfermagem Técnico em Agente Comunitário de Saúde Técnico em Gerência de Saúde Técnico em Cuidados de Idosos Técnico em Reabilitação de Dependentes Químicos Técnico em Vigilância em Saúde E outros profissionais que atuem ou possuam experiência na área e que tenham interesse em aprimorar sua qualificação.

Porque fazer

Por muitos anos a Saúde Mental foi tratada como um tema pouco discutido e restrita ao isolamento de pacientes com problemas ou desordens mentais. O conceito adotado era de que quem não tinha uma doença mental, tinha Saúde Mental, o que sabemos não ser verdade. Não apenas o avanço da medicina, mas o surgimento da Psicologia e mais recentemente da globalização, permitiram que a discussão da Saúde Mental pudesse avançar, com a redução de preconceitos e a compreensão de que há diferentes situações e enfrentamentos que fazem com que mesmo as pessoas sem uma patologia psiquiátrica, podem se ver descompensadas ou com problemas que requerem uma avaliação e acompanhamento profissional e especializado. O conceito de hospício foi revisto, assim como as internações que não tinham fim. O modelo do acompanhamento ambulatorial multidisciplinar ganhou forma e passou a ser adotado no Sistema Único de Saúde. Por outro lado, ainda há muitos locais onde há pouco ou nenhum acesso a profissional que tenha o conhecimento necessário para um primeiro atendimento e a devida triagem e quando possível o acompanhamento em ambulatório geral, sem a necessidade de encaminhamento, mas quando necessário, que esse seja realizado da melhor forma possível. O técnico com formação em Saúde Mental possui um grande campo de atuação, podendo trabalhar desde a atenção primária, como também em unidades especializadas. O número de pacientes com dependência química tem aumentado muito nos últimos anos e é outro ponto de grande preocupação. As estatísticas brasileiras nem sempre retratam bem a realidade, mas no ano passado, pela primeira vez, nos Estados Unidos, o número de mortes relacionadas ao uso de drogas, foi superior ao de homicídios e de acidentes automobilísticos, no que tem sido chamado de epidemia da droga. A comorbidade com doenças mentais é muito grande e constitui-se em enorme desafio para os profissionais que atuam em Saúde Mental.

  • Duração do curso: 4 meses
  • Carga horária: 320 horas
  • Modalidade: EAD

Ao final do curso você será capaz de:

- Identificar condições de urgência e emergência em ambiente pré-hospitalar, em situações clínicas e trauma; - Conhecer os procedimentos de suporte básico de vida de tal forma a poder emprega-lo no pré-hospitalar; - Conhecer e estar apto para iniciar os procedimentos de instalação de Posto de Comando; - Estar apto a iniciar o Sistema de Comando de Incidentes sempre que necessário, bem como reconhecer as diferentes funções empregadas durante o socorro; - Aplicar as técnicas e protocolos de triagem em situações de desastre e de incidente com múltiplas vítimas; - Reconhecer as diferentes fases de atendimento pré-hospitalar; - Atuar em apoio à Regulação Médica nas centrais de atendimento pré-hospitalar; - Identificar os recursos necessários a serem empregados em diferentes situações de urgência e emergência e como solicitar o apoio necessário; - Conhecer os protocolos de atendimento e de solicitação de suporte aeromédico; - Saber utilizar os recursos existentes no atendimento pré-hospitalar; - Identificar situações de risco e estar apto a propor medidas de mitigação e de preparação para emergências e desastres;

Grade Curricular

DISCIPLINAS HORAS
AMBIENTES DE TRATAMENTO, ELABORAÇÃO E EXECUÇÃO DE PROJETOS PARA DEPENDÊNCIA QUÍMICA 40h
CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL: PRINCÍPIOS NORTEADORES 40h
QUALIDADE DE VIDA 40h
SAÚDE MENTAL DA CRIANÇA 40h
SAÚDE MENTAL DO ADOLESCENTE 40h
SAÚDE MENTAL DO ADULTO 40h
SAÚDE MENTAL DO IDOSO 40h
SAÚDE PREVENTIVA E PROMOÇÃO DA SAÚDE 40h

Onde você poderá trabalhar?

Os profissionais com formação em Saúde Mental podem atuar em unidades básicas de saúde, em programas de Saúde da Família, em hospitais e clínicas gerais, nos centros de atenção psicossocial (CAPS), nos hospitais e clínicas psiquiátricas, nos centros comunitários e clínicas para dependentes químicos, em organizações não-governamentais, como também em hospitais-escolas, dentre outras possibilidades.

QUERO SABER MAIS